Subscribe to our newsletter:

Mao Morta

Free
iPhone / iPad
Genres:
  • Music
  • Entertainment
I want this app
Download from AppStore

Aplicação para o iPhone da Banda Portuguesa Mão Morta (versão 1.0, Dezembro 2009).

Instruções: Certifique-se que o iPhone não está em mute, e de que o volume do som está alto. As seis bolas de baixo representam, cada uma, um determinado som. Clique nas bolas em baixo para iniciar loops de áudio. Com as seis bolas de cima, será possível controlar as características do som. Movimente as bolas de cima para controlar o volume e a panorâmica do som. Para controlar o volume, movimente as bolas de cima verticalmente. Para controlar a panorâmica, movimente as bolas de cima horizontalmente.
Para uma melhor experiência recomenda-se o uso de headphones.

Sobre o Grupo Mão Morta: O grupo Mão Morta foi formado em Novembro de 1984, em Braga, por Joaquim Pinto, Miguel Pedro e Adolfo Luxúria Canibal. Após a estreia em Janeiro de 1985, ganha em 1986 o Prémio de Originalidade no III Concurso de Música Moderna do Rock Rendez-Vous, o que lhe traz as primeiras críticas positivas da imprensa. Em 1988 grava o seu primeiro disco, homónimo, entusiasticamente recebido. Mão Morta é convidado para a primeira parte de grupos estrangeiros como Gun Club, Wire ou Nick Cave e começa a rodar por todo o país. Em 1993 edita Mutantes S.21, que se torna um êxito. Interessa então as majors e assina com a BMG. Em 1995, no seu 10.º aniversário, é agraciado com a Medalha de Mérito Grau Prata do Município de Braga. Em 1997 Mão Morta encena Müller no Hotel Hessischer Hof, sobre poemas de Heiner Müller, considerado uma revolução no trabalho do grupo, tendo o espectáculo acumulado salas esgotadas e o disco a que deu origem permanecido várias semanas no top de vendas. O mesmo entusiasmo acolhe o disco de 1998, Há Já Muito Tempo Que Nesta Latrina o Ar Se Tornou Irrespirável, consagrado aos situacionistas, tendo a tournée que se lhe seguiu terminado com um devastador concerto no mítico Coliseu dos Recreios, em Lisboa, na comemoração do seu 15.º aniversário. Em 1999 começa a tocar no estrangeiro (Espanha, Itália, França). Em 2001 recebe o Prémio Carreira Blitz. Em 2002 o seu álbum Primavera de Destroços recebe o Prémio Blitz para o Melhor Disco do Ano enquanto Mão Morta recebe o Prémio Blitz para Melhor Grupo do Ano. Em 2003 a editora Cobra, formada no seio do grupo, estreia-se com um registo ao vivo dos aclamados concertos de Mão Morta, Carícias Malícias. Em 2004, para o seu 20º aniversário, edita Nus, que bate todos os recordes de vendas da banda e é considerado pela imprensa especializada Melhor Disco do Ano. Em 2007 estreia Maldoror, novo espectáculo musical na senda de Müller no Hotel Hessischer Hof, agora com excertos de Os Cantos de Maldoror, do Conde de Lautréamont. Tem 14 álbuns editados, a maioria sistematicamente incluída nos diversos balanços dos melhores discos de sempre da música portuguesa.